Nissan Leaf: Um grande passo para a indústria automóvel

A Nissan revelou este fim-de-semana o seu novo carro eléctrico, o Leaf, modelo que poderá revolucionar a indústria automóvel.

 

Previsto para chegar aos mercados europeu, japonês e norte-americano no próximo ano, o Leaf (que pode ser traduzido como 'Folha') assume-se como um modelo inovador para o sector, já que se a propulsão eléctrica não é uma novidade, os baixos preços a que a Nissan quer vender o seu novo carro podem torná-lo uma opção muito mais interessante.

O Leaf poderá, ainda, vir a contar com baterias de origem portuguesa, já que a marca pretende instalar em Portugal uma unidade de fabrico para produzir as baterias para o seu modelo, ao abrigo do acordo assinado há algumas semanas com o Governo nacional.

Para o presidente da Aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, o Leaf simboliza "uma nova era para a indústria automóvel", acreditando mesmo que em 2020 cerca de dez por cento das unidades vendidas pela marca nipónica sejam carros eléctricos.

Outra das armas da Nissan para conquistar clientes prende-se com o design exterior e interior, que foge dos cânones dos actuais carros híbridos, os quais comprometem a sua imagem em favor da eficiência dos consumos. A autonomia deste modelo ronda os 160km, extraídos do motor eléctrico de 80kw, o qual é alimentado por baterias de iões de lítio de 90kw.

A Nissan aposta, com esta autonomia, ir ao encontro das necessidades da grande maioria dos condutores mundiais, graças a um estudo efectuado pela marca que indicou que 70 por cento dos utilizadores de automóveis não fazem mais do que esses 170km diariamente. O carregamento também é mais eficiente, podendo retomar 80 por cento da sua carga em apenas meia hora, ao passo que numa tomada de 200V o carregamento deverá levar oito horas.

Este novo modelo, que contará com emissões poluentes zero deverá ser posicionado no segmento C a preços competitivos abaixo dos 20 mil euros

fonte: http://autosport.sapo.pt/nissan-leaf-um-grande-passo-para-a-industria-automovel=f74929#ixzz22X2ENQvW

Nissan inicia obras na fábrica que produzirá o elétrico Leaf nos EUA

Outra unidade produzirá baterias de íon-lítio e ambas irão operar em 2012.
Leaf está na corrida para ser o primeiro carro elétrico a estrear no Brasil.

A Nissan iniciou nesta quarta-feira (26) as obras da fábrica que produzirá baterias de íon-lítio para veículos elétricos. A nova planta está localizada em Smyrna, Tennessee, ao lado da unidade que será reformada para receber a linha de montagem do primeiro veículo 100% elétrico a ser produzido em massa, o Nissan Leaf.

As duas unidades começam a operar no início de 2012 e terão capacidade total de 200 mil unidades/ano para baterias e de 150 mil unidades/ano do veículo elétrico. “O dia de hoje é um grande passo no processo de criação de uma economia ‘verde’ nos Estados Unidos”, afirma o CEO da Nissan, Carlos Ghosn. “A produção do Nissan Leaf e das baterias de íon-lítio traz o país mais perto da sua meta de independência em energia, de criar empregos ‘verdes’ e de sustentabilidade da indústria local”.

A construção da fábrica de baterias e a reforma da linha de montagem para a produção do Leaf terão investimentos de US$ 1,7 bilhão, com cerca de 80% do capital (US$ 1,4 bilhão) provenientes do Programa de Empréstimos para Produção de Veículos de Tecnologia Avançada, que tem como objetivo acelerar o desenvolvimento de veículos e tecnologias que possam oferecer aos Estados Unidos a independência em energia, a criação de meios de transportes limpos e o estimulo à economia.

 

Desde 20 de abril, cerca de 13 mil norte-americanos fizeram reservas para a compra do Nissan Leaf que começará a ser vendido em 2012 em mercados previamente selecionados pela montadora, como Estados Unidos, Japão e Europa. Até a fábrica dos Estados Unidos ficar pronta para receber o modelo, ele será produzido no Japão com baterias manufaturas também no país. No início, devem ser fabricadas 50 mil unidades por ano.

Nissan Leaf no Brasil

A Renault-Nissan estão na corrida para viabilizar o carro elétrico no Brasil. Uma parceria entre o grupo e a prefeitura de São Paulo firmada em abril deste ano estuda oportunidades de uso do Leaf na capital paulista. Segundo a companhia, a parceria envolve estudos de viabilidade, infraestrutura, recursos e produtos, que incluem a implantação de uma rede de recarga na cidade.

Apesar do otimismo da divulgação da parceria, o presidente-executivo da aliança Renault-Nissan, Carlos Ghosn, afirmou no evento que "não achamos que haverá condições de termos uma comercialização em massa (no Brasil) se não houver incentivo para o consumidor".

"O carro elétrico não vai ficar popular se não houver uma boa equação econômica (...) sem apoio do governo ele vira produto de nicho de mercado e nossa prioridade são locais onde os governos estão ajudando os consumidores a comprarem o carro", disse Ghosn.

Segundo o executivo, a produção do Leaf no Brasil depende de garantia de uma demanda de pelo menos 50 mil carros por ano. Ghosn não estimou quando isso poderia acontecer e afirmou que se for vendido no país, o preço do Leaf dependerá de incentivos do governo.

O veículo, segundo o grupo franco-nipônico, é capaz de percorrer 160 quilômetros com uma carga na bateria e será vendido nos Estados Unidos por 25.280 dólares (R$ 44.543).

O presidente da Renault para Brasil e Mercosul, Jean-Michel Jalinier, afirmou após a apresentação que a chegada do Leaf do país dependeria de incentivos do governo federal, como forma de equilibrar a diferença inicial do custo maior de produção dos veículos elétricos em relação aos movidos a gasolina, cuja escala é muito maior.

"Nos Estados Unidos, por exemplo, eles conseguiram equilibrar totalmente essa diferença", disse o executivo. Ghosn afirmou na apresentação que consumidores norte-americanos recebem incentivos de cerca de 7.500 dólares na compra de veículos elétricos.

Segundo o prefeito da cidade de São Paulo, Gilberto Kassab, a prefeitura pretende encomendar um lote de veículos elétricos da parceria para ser entregue até o final deste ano. Os carros equipariam a frota da Companhia de Engenharia de Tráfego (CET) da cidade.

Kassab não informou quantos veículos a prefeitura pretende encomendar. Enquanto isso, representantes da prefeitura disseram que o acordo assinado representa um protocolo de intenções e que nenhum detalhe concreto foi acertado ainda.

 

fonte: G1

http://g1.globo.com/carros/noticia/2010/05/nissan-inicia-obras-na-fabrica-que-produzira-o-eletrico-leaf-nos-eua.html

 

 

Loading

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

Content on this page requires a newer version of Adobe Flash Player.

Get Adobe Flash player

 
 
© 2011 - Manual do Automóvel - Todos os direitos reservados | Desenvolvido e Administrado por Editwork Publicidade | (19) 3228.0603

falecom@manualdoautomovel.com.br